Música Urbana


Foto: Danilo Trombela

"Fica a vontade! Essa é nossa casa"! Foi assim que Jairo Fajerztajn, baixista do Sheila Cretina, me recebeu na Associação Cultural Cecília em São Paulo, agora no final de agosto. Era nada mais nada menos do que a festa de lançamento do tão aguardado "Vol. II", que como o título já diz, é o segundo trabalho da banda.


O Sheila está sempre lá na Cecília, seja tocando, seja curtindo, ou seja fazendo os dois. E não existiria lugar mais apropriado pra lançar um disco urbano como esse do que no centro da metrópole, entre os bairros de Santa Cecília e Barra Funda. A casa dos Sheilas. A festa foi ótima, com a banda tocando o disco na íntegra, faixas coladinhas, como tem que ser. A discotecagem ficou a cargo do Gabriel Thomaz e da Erika Martins, colegas do Jairo na sua outra banda, o Autoramas. Aliás, tanto a Érika quanto o Gabriel participam do “Vol. II”.


Sim, o álbum é poderoso! Garagera pura! Com cheiro do óleo queimado e tudo. E no maior estilo punk rock, com músicas curtas e mensagens diretas! É vocal forte com guitarra rápida e clima de caos. Perfeito pra quem gostaria de descer a Rua Augusta a 120 por hora! É a cara de São Paulo, como já adiantava o release escrito pelo jornalista Diogo Rodrigues e que a banda encartou no seu kit de imprensa. Das curiosidades do álbum é que suas faixas foram nomeadas por numerias. “Onze”, “Quinze”, “Dezoito”, e por ai vai!


Eles já tinham deixado um aviso no final do "Vol. I". Fecharam o disco com a faixa "Vol. II", que pode muito bem ser uma referencia ao álbum que viria a ter o mesmo nome da música, e indicar o que estaria por vir. A letra diz: "Acordado, enclausurado, preso em meus lençóis...". Gustavo McNair (Vocal/Guitarra), Rodrigo Ramos (Guitarra/Vocal), Caio Casemiro da Rocha (Bateria), além do já citado Jairo Fajersztajn (Baixo/Vocal) estavam realmente acordados, mas precisamos esperar por 6 anos até que o "Vol. II", o álbum, visse a luz do dia.



E aproveitando o grande anfitrião que foi o Jairo, bati um papo com ele sobre a banda e o disco novo.


Sustenido: Quem é a Sheila? Ela existe mesmo ou é obra de ficção?


Jairo: Boa pergunta! Eu estava na dúvida se era realidade ou ficção, mas no último dia 3 de setembro (2017) eu acreditei que ela existe mesmo! Fizemos uma grande festa de lançamento do Vol. II na Associação Cultural Cecília.

Sustenido: O que mudou do "Vol. I", para o "Vol. II"? O Gustavo, voz e guitarra, até brincou durante esse show de lançamento dizendo que o primeiro álbum era mais comercial, uma vez que as músicas tinham nomes, e agora ales receberam numerais como títulos.


Jairo: Olha, nunca parei para pensar o que mudou. Mas na verdade o que mudou foi atual campeão brasileiro, mundial, o presidente, a inflação, as delações... Nós continuamos a mesma banda seguindo seu rumo orgânico. Especificamente sobre isso, pode ver que no "Vol. I" existe uma música chamada ''Um'', não deve ser a toa rs Sustenido: E o que significam os numerais que dão nome as músicas do “Vol. II”? Tem um porquê da ordem em que elas aparecem no álbum?


Jairo: Esses são os nomes das músicas mesmo. O significado fica por conta de cada um e sua interpretação. rs

A arte é infinita e não tem limites, tanto para criação quanto interpretação, essa é uma das graças de todo o lance.

Sustenido: Recentemente você passou a fazer parte do Autoramas. O que você trouxe desta sua nova banda para o Sheila. Imagino que tenha surgido de forma bem natural o convite para a Erika e o Gabriel terem participado do disco, né?


Jairo: Pô, difícil falar... Autoramas é uma banda que sempre vi de longe tocando com grandes nomes do Rock, prêmios na MTV, tours internacionais inclusive no Japão, grandes festivais, enfim... Nos conhecemos na estrada e ficamos amigos. O convite para tocar junto surgiu naturalmente, foi uma junção de amizade, necessidade e oportunidade. Acho que para o Sheila agregou em experiência, história, algumas manhas da estrada... , mas somos a mesma banda, com mesmos integrantes num momento anos depois...


Sustenido: No teaser que vocês divulgaram antes do lançamento do disco, alguém diz que o "Vol. II" é anterior ao "Vol.I". Sério? Ele foi mesmo gravado e regravado?


Jairo: Hahahahahaha Polêmica! Vol I é anterior ao Vol. II. O primeiro lançado em 2011 e o segundo semana passada!

Sustenido: Vi uma entrevista de vocês, onde rolou o papo de que faltavam espaços na cidade que respeitassem os músicos com trabalho autoral e lugares onde a galera pudesse trocar uma ideia sobre música, ouvir discos e coisas do tipo. Você consegue indicar pra gente algum lugar na cidade onde essa interação ainda exista de forma respeitosa?


Jairo: Dentro do underground tenho amigos músicos do autoral e do cover, quem você acha que ganha mais dinheiro e toca em lugares com melhores estruturas? Isso eu não sei se é culpa das casas ou do público que tem medo do novo/diferente.

Em São Paulo existe a Associação Cultural Cecília e o Estúdio Aurora. Muitos dos lugares que antes abriam as portas, ou fecharam ou se renderam a noites de cover.

Sustenido: Sei que ainda é cedo pra perguntar, mas o "Vol. I" deixou uma dica sobre o "Vol. II" com uma faixa que tinha esse título. No disco novo existe alguma dica sobre um possível "Vol. III"?


Jairo: Hahahaha! Esse disco não tem dica nenhuma, está tudo escancarado para vocês verem, ouvirem, cantarem pularem, surtarem ao som da Sheila =)


...


Pra saber mais:

pt-br.facebook.com/sheilacretina

#sheilacretina

sustenido: 

 

Rock e afins meio tom acima! Histórias, dicas, sugestões, informação sobre todas as vertentes desse ritmo que nos une.

  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black RSS Icon
siga o sustenido: 
posts recentes: 
 procurar por tags: 
Nenhum tag.

© 2016 por sustenido. 

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
  • White RSS Icon